terça-feira, 27 de dezembro de 2011

2012 vem aí!


Faltam apenas 4 dias para ano novo, mais precisamente 96 horas para um novo começo, mas ainda dar tempo, ainda temos um tempinho para mudar tudo e fazer com que 2012 comece sem deixar nenhuma pendência. Dar olhar para os dias de 2011 e vive-los, mais uma vez, rapidamente, passar pelos altos e baixos deste ano, erguer a cabeça e dizer: Eu conseguir... é uma vitória. Analisar minuciosamente cada erro e acerto deste ano, para que não venhamos a repeti-los nos próximos, começando por 2012. Tornar as lembranças do passado as melhores, por mais dolosas que sejam, viver ainda mais intensamente o presente, ele que por sua vez em fração de segundos vira passado só depende de nós construir um passador bom. Deixar o futuro passar sem se preocupar com o que possa vim já é o bastante. Isso é tudo que mais fazer quero em 2012.      

domingo, 25 de dezembro de 2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

Eu? – Por Jenfte Alencar



Falar o que estamos sentindo nem sempre é fácil, fazer os outros sentirem o que sentimos é ainda mais complicado. Às vezes sou uma pessoa tão complicada, tão confusa que nem eu mesmo me entendo. Cada dia é uma surpresa, não que sou imprevisível, mas que às vezes sinto-me tão mudado. Uma das coisas que tenho mais raiva em mim é quando quero fazer algo e não faço, isso me deixa bolado. Essa “culpa” de não ter feito o que deveria fazer naquele instante me consome, suga todas as minhas vontades, todos os meus desejos, isso me martiriza, não por simples minutos, mas por horas, dias, meses... Tenho vergonha de mim mesmo, por não fazer o que penso, por não agir por impusso em determinadas situações. Mas isso vai passar ou tá passando, ainda não sei mais. Creio que sim... quero tanto me entender.
Não sei o que sou? Por que sou? Tudo seria tão mais fácil se não fosse... mudar é difícil mas não impossível, é o que costumo dizer. Quanto ainda mais temos que perder para crescer? Quantos dias ainda vão passar para tudo mudar? Ainda tenho tanto a aprender. E esse medo que me persegue... que me maltrata... que me faz seu escravo... fica sempre ao meu lado. O tempo vai passando e ele não some. Quando penso que ele foi embora, ele volta. São tantos... tantas dúvidas... quais são elas? Há... primeiro de te perder... de te decepcionar... de não poder ser o que espera de mim... do encanto acabar... de não saber a hora... o momento... de magoar... ferir seus sentimentos... e por um minuto, um segundo, quando sinto que te magoei, que te decepcionei... Me sinto mal, é como se não existis-se mais espaço para felicidade, pelo menos não até o dia que te faço sorrir... que te deixo feliz... que vejo seu olhar brilhando de novo. Um momento perdido nunca mais vai voltar... mas ainda há esperança de não perder mais nenhum.
Por que isso? Por que comigo? Por que sou tão diferente? Queria entender? Queria poder ainda mais aproveitar cada minuto... cada segundo... cada instante... cada momento... ao seu lado. Não que não me divirta, que não seja bom, mas poderia ser melhor. Têm horas que não acredito. Penso que ainda estou sonhando... que a realidade não existe... é bom sonhar, mais não demais, ficar preso no sonho, nos faz deixar passar muita coisa na realidade.
Sei que a culpa disso tudo é minha. Poderia ter mais atitude, parar de pensar e agir.Mas a barreira te magoa, daquele momento não ser o certo, é muito alta, e têm horas, momentos, que não consigo ultrapassá-las só. Não quero ser precipitado... quero dar um passo de cada vez, para que tudo e todos os momentos que tivermos serem especiais... quero esperar seu tempo, o tempo que for preciso... tudo o que mais quero é ficar ao seu lado, isso não tenha dúvida. Sei que em breve não terei mais esses medos, do que é certo ou errado. Não teria mais conflitos entre minha razão e meu coração.
Posso dizer mil e uma palavras, mas nesse momento tudo o que posso dizer é: Desculpe-me por ser assim, prometo que vou mudar.

Escrito em: 21/11/2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

Longe - Arnaldo Antunes - Canta Marcelo Jeneci




Onde que eu fui parar, aonde é esse aqui?

Não dá mais pra voltar, porque eu fiquei tão longe, longe...
Onde é esse lugar?
Aonde está você?
Não pega celular e a terra está tão longe, longe...
Não passam carros sequer
Todo comércio fechou
Não tem satélite algum transmitindo notícias de onde eu estou
Nenhum e-mail chegou
Nenhum correio virá
E entre quatro paredes, sem porta ou janela pro tempo passar
Dizem que a vida é assim
Cinco sentidos em mim
Dentro de um corpo fechado num vácuo de um quarto, espaço sem fim
Aonde está você?
Por que que você foi?
Não quero te esquecer
Mas já fiquei tão longe, longe...
Não dá mais pra voltar e eu nem me despedi
Aonde é que eu vim parar?
Por que eu fiquei tão longe, longe, longe...

Longe, longe, longe...

Tudo se Encacha - Por Jenfte Alencar



Nossa como é incrível os caminhos que seguimos, a forma como tudo vai se encachando pouco a pouco, o fato de nada ser por acaso, de tudo na vida está interligado por uma energia que não sei descrever. Todos já devem ter passado por esse momento, tipo escutar uma música uma vez, apenas uma vez e ela lhe mostra-se tudo. Você conseguir viver o momento, em cada linha, em cada verso.... sonhar acordo com tudo vivemos... tudo que queríamos dizer ou fazer... enfim, feito pra nós.
Música é momento, é cada pedacinho da nossa história que vai se encachando na letra, na melodia, é como se ela fosse feita só pra você, para o que você está sentido... para o que está passando... não importa o que seja, pode ser felicidade ou tristeza ela vai está lá... ela vai aparace, sem você perceber.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Um domingo massa na Chapada do Araripe















































É sempre bom tira um dia de sua rotina para se divertir, quebrar o tabu da mesmice. Pra mim não tem lugar melhor do que está na natureza, ver cenas que são incríveis, que nem dar para acreditar. E é nesses lugares que minha alma se renova, se restaura.