domingo, 11 de dezembro de 2011

Eu? – Por Jenfte Alencar



Falar o que estamos sentindo nem sempre é fácil, fazer os outros sentirem o que sentimos é ainda mais complicado. Às vezes sou uma pessoa tão complicada, tão confusa que nem eu mesmo me entendo. Cada dia é uma surpresa, não que sou imprevisível, mas que às vezes sinto-me tão mudado. Uma das coisas que tenho mais raiva em mim é quando quero fazer algo e não faço, isso me deixa bolado. Essa “culpa” de não ter feito o que deveria fazer naquele instante me consome, suga todas as minhas vontades, todos os meus desejos, isso me martiriza, não por simples minutos, mas por horas, dias, meses... Tenho vergonha de mim mesmo, por não fazer o que penso, por não agir por impusso em determinadas situações. Mas isso vai passar ou tá passando, ainda não sei mais. Creio que sim... quero tanto me entender.
Não sei o que sou? Por que sou? Tudo seria tão mais fácil se não fosse... mudar é difícil mas não impossível, é o que costumo dizer. Quanto ainda mais temos que perder para crescer? Quantos dias ainda vão passar para tudo mudar? Ainda tenho tanto a aprender. E esse medo que me persegue... que me maltrata... que me faz seu escravo... fica sempre ao meu lado. O tempo vai passando e ele não some. Quando penso que ele foi embora, ele volta. São tantos... tantas dúvidas... quais são elas? Há... primeiro de te perder... de te decepcionar... de não poder ser o que espera de mim... do encanto acabar... de não saber a hora... o momento... de magoar... ferir seus sentimentos... e por um minuto, um segundo, quando sinto que te magoei, que te decepcionei... Me sinto mal, é como se não existis-se mais espaço para felicidade, pelo menos não até o dia que te faço sorrir... que te deixo feliz... que vejo seu olhar brilhando de novo. Um momento perdido nunca mais vai voltar... mas ainda há esperança de não perder mais nenhum.
Por que isso? Por que comigo? Por que sou tão diferente? Queria entender? Queria poder ainda mais aproveitar cada minuto... cada segundo... cada instante... cada momento... ao seu lado. Não que não me divirta, que não seja bom, mas poderia ser melhor. Têm horas que não acredito. Penso que ainda estou sonhando... que a realidade não existe... é bom sonhar, mais não demais, ficar preso no sonho, nos faz deixar passar muita coisa na realidade.
Sei que a culpa disso tudo é minha. Poderia ter mais atitude, parar de pensar e agir.Mas a barreira te magoa, daquele momento não ser o certo, é muito alta, e têm horas, momentos, que não consigo ultrapassá-las só. Não quero ser precipitado... quero dar um passo de cada vez, para que tudo e todos os momentos que tivermos serem especiais... quero esperar seu tempo, o tempo que for preciso... tudo o que mais quero é ficar ao seu lado, isso não tenha dúvida. Sei que em breve não terei mais esses medos, do que é certo ou errado. Não teria mais conflitos entre minha razão e meu coração.
Posso dizer mil e uma palavras, mas nesse momento tudo o que posso dizer é: Desculpe-me por ser assim, prometo que vou mudar.

Escrito em: 21/11/2011
Postar um comentário